Relatório traça as origens e as causas do desperdício global de alimentos


Capa de relatório ONU

Capa de relatório ONU

Em julho, um painel de especialistas apoiados pelas Nações Unidas apresentou o relatório “Desperdício e perda de alimentos no contexto de sistemas alimentares sustentáveis” que revela as origens e as causas do desperdício de alimentos no mundo e que recomenda algumas ações que poderão reduzir as 1,3 mil milhões de toneladas de alimentos que são perdidas anualmente em todo o mundo.

 

“A perda e desperdício de comida são consequência do modo como os sistemas alimentares globais funcionam atualmente, tanto em nível técnico, como cultural e económico”, explicou o Painel de Alto Nível de Especialistas do Comité sobre Segurança Alimentar Mundial, a mais importante plataforma internacional e intergovernamental para discussões e definição de agenda sobre questões relacionadas com a segurança alimentar global.

 

Segundo a Organização para Alimentação e Agricultura (FAO), o problema do desperdício tem ganho cada vez mais relevância: “cerca de um terço de toda a comida produzida para consumo humano acaba perdida”, prejudicando a segurança nutricional das populações e a sustentabilidade do sistema alimentar – que garante a disponibilidade de comida para as atuais e futuras gerações.

 

É de referir que este relatório analisou os impactos da perda de alimentos com base numa ampla lista de causas. “Reduzir as perdas e o desperdício é essencial para melhorar a segurança alimentar e diminuir a pegada ecológica dos sistemas de produção de alimentos”, afirma o documento.

 

Consulte na íntegra o Relatório “Desperdício e perda de alimentos no contexto de sistemas alimentares sustentáveis”.

Leave a comment