Alterações climáticas: Península Ibérica é uma das regiões europeias mais ameaçadas


Numa altura em que arranca em Paris a COP21, convém relembrar que todos os cenários climáticos traçados pelos cientistas colocam Portugal e Espanha na linha da frente dos impactos das alterações climáticas na Europa..
Nos últimos anos já nos vamos habituando a uma incerteza crescente em relação ao clima em Portugal. Agosto já não é o mês de praia garantido e os casacões não saem dos armários antes do fim de Novembro. Também nos temos habituado a fenómenos de maior violência desde ondas de calor extremo, inundações, o mar a entrar terra a dentro levando restaurantes e apoios de praia. Vamos nos habituando, mas os especialistas afirmam que o pior está para vir e que, dentro da Europa, a Península Ibérica e a faixa mediterrânica serão das regiões mais afetadas.
Nestas áreas, o aumento médio da temperatura esperado será superior ao das restantes regiões europeias, (algumas projeções mais extremas chegam a mais seis graus) e a precipitação média também vai diminuir, embora fenómenos extremos possam tornar-se mais frequentes (chuvas rápidas e intensas). Em consequência disto, suceder-se-ão em cascata diversas consequências negativas: maior risco de desertificação, escassez de água, redução da produtividade agrícola, menor capacidade na produção hidroelétrica, maior risco de fogos florestais, etc.
Este impacto negativo diferenciado na Península não é novidade e já constava do relatório “Alterações Climáticas, Impactos e Vulnerabilidades na Europa”, publicado em 2012 pela Agência Europeia do Ambiente.
No entanto só agora é que se começam a dar passos definitivos para o país se preparar para estas alterações, uma vez que só agora é que começa a haver uma avaliação á escala local das vulnerabilidades, atuais e futuras.
Um dos principais estudos nesse sentido, é liderado pelo Filipe Duarte Santos no âmbito do projeto ClimaAdapt.Local. Uma iniciativa apoiada pelo EEGrants e que desde janeiro, procura identificar as fragilidades em cada um dos 26 municípios participantes e traçar estratégias para as ultrapassar.

Leave a comment